Inflação cresce no Brasil

Até novembro de 2011, a inflação estava em 6,1% – percentagem defasada que fica ainda maior quando comparamos aos dissídios, que no ano passado ficaram, em média, entre 6% e 10%. Portanto a tabela do Imposto de Renda será reajustada até 2014 sendo a correção aplicada de 4,5%, percentual considerado como o centro da meta da inflação.

“Infelizmente a tabela não acompanha a nossa realidade. Os maiores beneficiários são os que estão isentos do imposto, cuja faixa aumentou de R$ 1.566,61 para R$ 1.637,11”, aponta a coordenadora do departamento contábil da consultoria Macro BPO, Elaine Sodré

Outra mudança anunciada foi o aumento do valor a ser deduzido por dependente na declaração do Imposto de Renda, de R$ 157,47 para R$ 164,56. Essa mudança, entretanto, é válida apenas a partir da declaração do ano que vem.

O reajuste na tabela do Imposto de Renda é de grande valia aos trabalhadores, pois ameniza as perdas que se tem com o pagamento do tributo. Mas, para quem mudou de faixa na tabela, resultante de aumento salarial, não há vantagens.

Por exemplo, quem recebia R$ 3.100 em 2011 e teve aumento de 8%, passou a ganhar R$ 3.348. Com a correção da tabela do IR, somada ao reajuste, mudou também de alíquota. Se antes se enquadrava em 15%, agora passou a 22,5%. Ou seja, pagava R$ 171,42 de IR e, agora, vai despender R$ 201,15. Diferença de R$ 29,73 a mais. Na prática, seu aumento salarial, em vez de R$ 248, será de R$ 219, justamente pelo valor pago a mais em IR.

Confira ainda o Extrato INSS.

Aumento no valor de quem teve maior reajuste

O trabalhador com maior dissídio no ano passado, vão pagar mais Imposto de Renda neste ano, devido a defasagem frente os 4,5% da correção da tabela do IR. Segundo o consultor tributário do Cenofisco Jorge Lobão. “É válido lembrar, também, que o Estado não tem a obrigação de corrigir nem em 4,5%. Porém, o que poderia ser feito para aliviar mais o bolso do contribuinte era a ampliação das faixas da tabela, das atuais cinco para sete, talvez, sendo tributado em 22,5% quem ganhasse entre R$ 4.000 e R$ 10 mil e, acima disso, em 27,5%.”

Aqueles que recebem o reajuste salarial no primeiro semestre são prejudicados, pois logo após o aumento salarial e a tabela é corrigida, aumentam as chances de mudar de faixa e acabar pagando alíquota maior de IR.

As pessoas que recebem seus reajustes todos de uma vez, apenas no fim do ano e somados ao salário, mesmo que sua data-base seja no início do ano, serão prejudicadas, pois o imposto a ser pago será maior.

A tabela INSS também será reajustada, porém, os novos valores serão divulgados somente no fim do mês.

Write a Comment